Tag Archives: sertão

O Centro de Inovação e Sustentabilidade do Semiárido (CIIS)

O Centro de Inovação e Sustentabilidade do Semiárido (CIIS) é um projeto de extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A iniciativa tem o objetivo de ser um espaço de desenvolvimento de pesquisas relacionados ao semiárido nordestino, mais especificamente com estudos no Rio Grande do Norte e que contribuam para uma maior sustentabilidade de atividades produtivas localizadas na área rural.

O projeto Centro de Inovação e Sustentabilidade do Semiárido (CIIS) funciona na zona rural do município de Caiçara do Rio do Vento (RN) a 100 km de Natal.

O projeto se justifica por buscar aproximar pesquisadores com o meio ambiente, economia e sociedade do sertão do Rio Grande do Norte, região essa que apresenta características especiais, merecendo atenção especial de pesquisas. O objetivo do CIIS é ser um espaço aberto para vários pesquisadores imaginarem pesquisas e atividades de ensino e extensão que contribuam para o desenvolvimento sustentável.

A aproximação com o sertão implica em organizações e pesquisadores identificarem o que pode ser pesquisado de modo a se promover uma maior sustentabilidade ambiental, econômica e social no sertão.

Espera-se que o desenvolvimento das pesquisas no CIIS colaborem para o desenvolvimento de atividades empreendedoras relacionadas ao desenvolvimento sustentável social, econômico e ambiental, iniciativas essas urgentes de serem pensadas no contexto atual no qual se observam os efeitos de estiagem, desertificação, mudança climática e desestruturação dos processos produtivos.

Mais informações podem ser obtidas através do telefone 84 99986-9173 com o professor Julio Rezende do Departamento de Engenharia da Produção (UFRN) ou pelo e-mail: juliofdrezende@hotmail.com.

Confecções usam elementos do sertão para gerar negócios no RN

Notícia publicada no portal No Ar:

A ideia de transformar elementos da cultura sertaneja em inspiração para criar peças de vestuário está transformando a realidade de pequenas confecções do interior do Rio Grande do Norte. Por meio do curso Moda e Design, realizado pelo Projeto de Confecções do Sebrae no Rio Grande do Norte, pequenos e médios empreendedores do Alto Oeste Potiguar agregam valor aos produtos e elevam a competitividade empresarial. O resultado do trabalho, inspirado na temática “Tesouros do Sertão” foi apresentado em desfile, ocorrido na noite desta quinta-feira (13), em Pau dos Ferros.

Roupas desenvolvidas no interior do Estado (Foto: Francisco Givanildo de Lima)

Roupas desenvolvidas no interior do Estado (Foto: Francisco Givanildo de Lima)

As coleções apresentadas pelas seis empresas participantes da capacitação remetem a atividades econômicas, como as tradicionais olarias do município de São Francisco do Oeste, a extração de minérios da cidade de Tenente Ananias, assim como a arquitetura, religiosidade, fauna e flora da região. “Existe uma ambiente muito favorável, e precisamos aproveitá-lo. Com esta capacitação, queremos que as empresas ganhem, não só dinheiro, mas mudem a realidade da região, ao se tornarem mais competitivas”, ressalta o diretor Técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti.

Durante o período da capacitação, realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), de outubro de 2012 a fevereiro deste ano, representantes das empresas Companhia do Pano, Fioch, Giza, D’Pele, Ellis Moda Íntima e Porfírio’s Confecções receberam orientações relativas a temáticas como História da indumentária, estudos de tendências e desenho de moda. Os estudos, que totalizam 350 horas, incluem ainda modelagem básica industrial e modelagem de adaptação.

De acordo com a empresária Eunice de Oliveira, da Fioch, a participação no curso significa um avanço no processo de produção das empresas participantes. Segundo ela, a capacitação dará um novo impulso aos negócios. “Estamos muito felizes com o resultado que obtivemos, e estamos certos de que mudamos completamente nossa visão de mercado e de criação das peças. Isso mudará a forma que vamos encarar o mercado”, avalia.

Para a gestora do Projeto de Confecções do Sebrae-RN, Verônica Melo, o principal diferencial do curso Moda e Design desenvolvido junto às empresas da Região do Alto Oeste é a agregação das instruções teóricas às consultorias individualizadas, aplicadas em cada empreendimento. “Já desenvolvemos o curso em outras regiões, mas de forma isolada, nunca em grupos, como fizemos aqui, e acredito que as empresas têm muito a ganhar, pois, além da teoria, comum às outras capacitações, também aliamos as consultorias, em cada negócio”, detalha.

Inspirados nas olarias

O pequeno município de São Francisco do Oeste possui cerca de 4 mil habitantes, e foi justamente em uma das atividades econômicas mais representativas da cidade, as olarias, que a Profírio’s Confecções buscou inspiração para criar a coleção verão 2014. A empresa funciona há mais de duas décadas no município,

Com pouco mais de 20 anos de atividades, a empresa, que teve início na residência da família, hoje fabrica cerca de 25 mil peças, principalmente do vestuário masculino, ultrapassa as dividas do Rio Grande do Norte, e já são comercializadas nos estados da Paraíba, Ceará, Maranhão, Bahia e Goiás.

Segundo o design gráfico da empresa, Lindenberg Lima, o sucesso se deve, principalmente, ao empenho e à busca pela inovação nos processo de produção. “Estamos sempre buscando inovar, e buscar um diferencial no mercado. Para isso buscamos parcerias importantes, como a que fazemos com o Sebrae, e melhoramos nosso processo de produção, como aconteceu nesta capacitação”, frisa. Com o funcionamento da empresa são gerados um total de 115 empregos diretos no município.

Clique aqui para ver a publicação original

 

Governo Federal repassa R$ 10 milhões ao RN para construção de barragens

Notícia publicada no blog Panorama Político de Anna Ruth  Dantas:

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) repassou R$ 10 milhões ao governo do Rio Grande do Norte para serem aplicados na construção de 1,3 mil barragens subterrâneas, beneficiando 146 dos 167 municípios do estado. Essa é a primeira parcela de um total de R$ 20 milhões destinados ao RN para a construção dessas tecnologias sociais. A segunda liberação de recursos (mais R$ 10 milhões) ocorrerá quando a fase inicial for concluída e permitirá a instalação de outras 1,3 mil barragens subterrâneas no estado, totalizando 2,6 mil unidades.

Exemplo de barragem subterrânea. (Foto: agronomos.ning.com)

Exemplo de barragem subterrânea. (Foto: agronomos.ning.com)

A instalação de barragens subterrâneas em propriedades de agricultores familiares tem reduzido os efeitos da seca no Semiárido. Essa é uma tecnologia de captação de água de chuva da chamada segunda água, destinada à produção agrícola. O MDS financia a construção desses equipamentos por meio do Programa Cisternas, que integra o Programa Água para Todos, do Plano Brasil Sem Miséria. Os primeiros R$ 10 milhões para o RN foram repassados esta semana.

Para ter uma barragem subterrânea, os agricultores familiares precisam estar inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e já contar com acesso à chamada primeira água, destinada ao consumo humano.

A construção do equipamento requer a fixação de uma manta de plástico, transversal ao leito das enxurradas, permitindo que o terreno acima da barragem fique úmido. Um poço, construído no ponto mais baixo do declive do terreno, também serve para captação de água usada na irrigação do plantio. A área recuperada chega, em média, a meio hectare.

Clique aqui para ver a publicação original

Sertão: entre a esperança e o medo

Clique aqui para ver a publicação original:

O cenário no interior do Rio Grande do Norte mudou nas últimas semanas. A chuva que caiu em todas as regiões do Estado transformou a paisagem em poucos dias. O cinza da vegetação sem vida deu lugar ao verde que salta aos olhos, as nuvens surgiram e o cheiro de terra molhada anima os agricultores. À primeira vista, a impressão de que a severa estiagem deu uma trégua aos potiguares convence, porém essa ainda não é a realidade. As últimas chuvas amenizaram o sofrimento, mas não garantiram, por exemplo, o abastecimento dos reservatórios. Agricultores e pecuaristas temem que o período de chuvas seja muito curto e a “seca verde” castigue a produção.

Agricultora Maria Alvanir diz com esperança: Deus vai mandar mais água. (Foto: Magnus Nascimento)

Agricultora Maria Alvanir diz com esperança: Deus vai mandar mais água. (Foto: Magnus Nascimento)

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn) registrou, até a última segunda-feira, um bom volume de chuvas em todo Estado. O maior acúmulo foi no município de Major Sales, a 427 quilômetros de Natal. Lá, o registro é de que já caiu 626,1mm de água. Na outra ponta da lista, está Japi, a 134 quilômetros da capital, onde choveu apenas 32,6mm. A chuva trouxe esperança para o homem do campo e foi a responsável pelo surgimento de pasto e sangria de pequenos açudes na região Oeste.

Mas as precipitações, até o momento, não chegaram a mudar de forma efetiva a realidade nos rincões do  Estado. Na última terça-feira, a TRIBUNA DO NORTE  percorreu parte do Seridó e região Central do RN e ouviu o relato de pecuaristas e agricultores. Há uma dualidade de sentimentos: esperança e medo. “A chuva deu uma aliviada. A gente não tinha nem onde levar o gado para comer. Agora, tem. Mas se não chover mais, tudo vai se perder”, resumiu Pedro de Brito, 49 anos, pequeno criador no município de São José do Seridó.

O criador estava, na manhã da última terça-feira, cuidando de oito cabeças de gado que comiam a vegetação rasteira que nasceu às margens da RN-288. “Vendi as outras nove cabeças de gado que tinha. Ficaram essas e escaparam por pouco. Não fosse as chuvas da semana passada, a coisa estava bem pior”, disse Pedro de Brito. Segundo a Emparn, em São José do Seridó, choveu 256 mm até a última segunda-feira.

O mato – conhecido como babuge – que nasceu recentemente é motivo de alegria, mas também de preocupação. Alguns animais passam mal depois de ingerir o alimento e é preciso cuidado para que eles não morram. “O gado, morto de fome, come muito a babuge. Às vezes tem lagarta no meio do mato e isso dá dor de barriga no gado”, explicou Pedro de Brito. Devido às dores, os animais deitam no chão. Alguns morrem.

Clique aqui para ver a publicação original

Interior do RN registra bons índices de chuva

Notícia publicada na Tribuna do Norte:

A região do Oeste potiguar e no Seridó teve registro de chuva em abundância no último final de semana. Segundo dados divulgados pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn),  teve ocorrências de chuvas, entre a última sexta-feira (19) e o amanhecer de ontem, em 92 dos 167 municípios do Estado.  A previsão para o dia de hoje é de tempo nublado com possibilidade de pancadas de chuva.

No município de Campo Grande, barragem da Pepeta sangra desde o sábado. (Foto: www.blogcardososilva.com.br )

No município de Campo Grande, barragem da Pepeta sangra desde o sábado. (Foto: www.blogcardososilva.com.br )

O maior registro de chuva no Oeste foi no município de Campo Grande, com 322, 5 milímetros, seguido de Itaú e Mossoró, com 212 e 203,5 milímetros, respectivamente. Para se ter uma ideia, o que choveu em Itaú somente, no final de semana passado, foi mais do que o volume registrado em 2012.

Em Campo Grande/RN, na manhã do sábado (20), um veículo derrapou na pista molhada e desceu o aterro, quase caindo na sangria do açude, próximo a Fazenda Recreio.  No município, a barragem do campo de aviação (barragem da Pepeta) está sangrando desde o sábado.  Em Mossoró, em virtude das fortes chuvas, foi disponibilizado à população um número da Defesa Civil para ações de assistência à população das áreas ribeirinhas da cidade.

Até o domingo foram feitos 37 atendimentos, principalmente nos arredores do bairro Quixabeirinha. O grupamento ambiental está realizando monitoramento nos pontos críticos do Rio Apodi-Mossoró. Do sábado para domingo foi registrado pela Defesa Civil e pela Subsecretaria de Serviços Urbanos a queda de 100 árvores.

Em Serra Negra do Norte, onde choveu 117,7 milímetros,até às 8h de ontem, faltavam 50 centrímentros para a barragem Dinamarca, reservatório que abastece a cidade com capacidade de sete milhões de metros cúbicos de água, sangrar. No mês de janeiro a barragem Dinamarca estava seca.

A jornalista Joamma Diniz, moradora da cidade, disse que o prefeito Urbano Faria estuda, junto a Secretaria Municipal de Saneamento, Recursos Hídricos e Abastecimento, um levantamento para dispensar os carros-pipa, além de confirmar para amanhã a volta do abastecimento. “Todos estão muito felizes e está quase tudo certo que na quarta-feira o abastecimento volte ao normal”, disse a jornalista.

A barragem da comunidade rural Sítio Encampinado, em Timbaúba dos Batistas também  amanheceu sangrando já no sábado (20). O local que fica na mesorregião potiguar choveu 139 milímetros no final de semana, dos quais somente de sexta para o sábado choveu 148 milímetros.

Clique aqui para ver publicação original

RN receberá R$ 7 milhões para instalação e perfuração de poços

Notícia publicada no portal No Ar:

A governadora Rosalba Ciarlini anunciou a disponibilização de R$ 7 milhões em recursos do Tesouro Estadual para instalação e perfuração de poços que vão beneficiar 397 comunidades do Rio Grande do Norte, com prioridade para as regiões do Seridó e Alto Oeste. O anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira (22), durante a reunião semanal de avaliação do Comitê de Combate à Seca, realizado no auditório da Governadoria.

Foto: internet

Foto: internet

De acordo com informações da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), mais três empresas foram contratadas para este serviço. A previsão é de que a ordem de serviço para a instalação e perfuração de poços no Alto Oeste seja dada neste final de semana, no município de Pau dos Ferros. Já a região do Seridó, deve receber a visita da governadora para a assinatura da ordem de serviço na próxima semana, em Caicó.

As chuvas que caíram no interior do Estado nos últimos dias também foram abordadas pela governadora Rosalba Ciarlini, que enfatizou a necessidade de dar continuidade às ações emergenciais e aos projetos estruturantes. “Temos que agradecer a Deus pela chuva que tem chegado ao nosso interior, mas não podemos baixar a guarda, pois a situação ainda é difícil e tudo que estamos fazendo irá nos servir no futuro. Portanto, mesmo que o inverno chegue, não podemos parar”, afirmou a governadora, acrescentando que o Exército também será responsável pela perfuração de outros 40 poços em locais a serem definidos pelo Governo do Estado.

Clique aqui para ver a publicação original

Chuvas trazem esperança para os moradores do interior do RN

Notícia publicada no caderno natal da Tribuna do Norte:

Água escorrendo pela terra ressacada, barreiros cheios, preces aos céus, esperanças renovadas. Assim era o clima na manhã deste sábado no interior do Rio Grande do Norte depois das chuvas que atingiram todas as regiões do Estado, com mais intensidade no Oeste e no Seridó. De acordo com informações publicadas em blogs e postas nas redes sociais, há registro de chuvas superior a 200 milímetros.

Foto: www.camposbelo.com

Foto: www.camposbelo.com

Os números são extraoficiais porque o Boletim Pluviométrico da Emparn, órgão do governo responsável pela coleta de dados e acompanhamento do clima no Rio Grande do Norte, só serão divulgado no final da manhã desta segunda-feira. Mas pelo volume relatado no twitter e no facebook, foi o final de semana mais chuvoso desde o final do inverno de 2011. Em Upanema, município onde está localizada a Barragem Umari, a chuva começou por volta das 18h30, com relâmpagos e trovões,  e até a manhã de hoje o tempo permanecia chuvoso com intensidade moderada.

As chuvas foram generosas no Oeste. “Em Campo Grande, foram mais de 200 milímetros de chuva. Todos os açudes sangrando”, informa o jornalista Cézar Alves. “Percorremos nesta manhã  105 quilômetros da Chapada do Apodi. Chuva em todo o percurso Mossoró-Baraúna-Quixeré-Limoeiro. Previsão 150 mm até o momento”, complementou o professor Josivan Barbosa, ex-reitor da antiga Escola Superior de Agricultura de Mossoró (Esam), hoje Universidade Federal do SemiÁrido (Ufersa).

No Seridó há relatos de chuvas de 170 milímetros no Sítio Lagoa da Serra, em Serra Negra do Norte; 160 mm no Sítio Logradouro, em Timbaúba dos Batistas; 120 mm no Sitio Carrapateira, em Caicó, e pelo menos outros 20 registros de chuvas abaixo dos 100 milímetros.  O final de semana também começou com chuvas fortes na região Central:  “Chuva de aproximadamente 300 milímetros no Sítio Espinheirinho. Todos os açudes e barreiros sangrando”, informou o blogueiro Aclesivan Soares.O sítio fica entre Assu e Mossoró.

Conhecedora do drama da falta de água para abastecimento humano quando prefeita de Mossoró, a governadora Rosalba Ciarlini usou as redes sociais para falar das chuvas:  “A caminho da Nísia Floresta, com o Ministro da Pesca, Marcelo Crivella, tenho a felicidade de confirmar chuva em vários pontos do Interior”.  Rosalba lembrou que as chuvas estavam presentes também  na Região Metropolitana de Natal, onde moram quase 40% da população do  RN: Essa chuva é essencial  para recompor nossos reservatórios, que estão em nível crítico.”

Antes de a solenidade começar, a governadora postou uma mensagem agradecendo a Deus pelas chuvas: “A chuva desses dias é uma bênção. Momento de intensificar nossas orações. Que chova em todo o Nordeste, castigado pela pior seca em um século.”

No interior, as chuvas eram o assunto do dia:  No twitter, as informações sobre chuvas no interior do Rio Grande do Norte não param de chegar na manhã deste sábado. De Caicó, Loloza Medeiros, dizia: “Você precisa ver o semblante dos seridoenses na feira-livre. E agradecia: “Obrigado meu Deus! que venha mais.”

Para o semiárido, as chuvas deste final de semana representam apenas o fim do sufoco em algumas comunidades rurais, que não tinham água nem mesmo para salvar o rebanho. Mas elas dão esperança aos produtores do Agreste, cujo inverno geralmente começa no final de abril e se estende até o início de julho.

Chuvas no RN

Sítio Lagoa da Serra – Serra Negra do Norte – 170mm
Sítio Logradouro dos Enés – 162mm
Sítio Logradouro (Timbaúba dos Batistas) – 160mm
Sítio Emcapinado (Timbaúba dos Batistas) – 148mm
Sitio Carrapateira (Caicó) 120mm
São José de Brejo do Cruz – 110mm -PB
Timbaúba dos Batistas – 110mm
Furna da Onça – Caicó – 110mm
Sitio Bela Flor – Caicó 102mm
Sitio Pintado – Timbaúba dos Batistas -100mm
Vila 1 do Sabugi – Caicó – 100mm
Barra de Santana – 96mm
Pelicano – Caicó – 92mm
Sitio Carrapateira – 90mm
Chuvas em São Fernando na Emater 86mm
Sitio Fechado – Jardim de Piranhas – 80mm
Bairro Recreio (Caicó) – 77mm
Sitio Santa Cruz – Jardim de Piranhas – 75mm
Sitio Malhada – São Fernando – 75mm
Bairro Barra Nova Caicó – Sarg. Sobrinho – 73mm
Sitio ramada – São Fernando -72mm (açude da comunidade tomou 1 metro)
Vila 2 do Sabugi – Casa de Odete – 72mm
Nova Caicó – 72mm
Na BrasilGás, (Centro de Caicó) – 70mm
Sítio Várzea Redonda – Caicó -70mm
Sítios Garcia 70mm e São Jerônimo 62mm – São Fernando
Sítio Umarizeiro São Fernando – 69mm
Bairro João XXIII (Caicó) – 62mm
São João do Sabugi – 60mm
6º BPM (Caicó) – 57,7mm
São João do Sabugi – 45mm
São Mamede – PB – 42mm
Sítio Recanto (Caicó) – 40mm
Comunidade Palma – Caicó -40mm
Faz. Brejinho – São João do Sabugi – 37mm
Sítio Manhoso 22,5mm
Barra da Espingarda – 22mm
St. Manhoso – Caicó – 22mm
Jardim do Seridó – 22mm
São José do Seridó – 13mm
Cruzeta – 10mm

Clique aqui para ver a publicação original

Pesquisas confirmam que é possível plantar uva no interior do RN

Notícia publicada no portal G1 RN:

Pesquisas realizadas na Universidade Federal do Semi-Árido (Ufersa), em Mossoró, região Oeste do Rio Grande do Norte, apontam que é possível cultivar uva no estado. De acordo com os dados, as condições climáticas permitem a colheita de até duas safras por ano.

Durante os dois últimos anos, pesquisadores e alunos da Ufersa acompanharam o plantio da cultura na fazenda experimental da Universidade. São 360 pés de uva, do tipo Itália, Isabel Precoce e Niágara Rosada plantados em 1/4 de hectáre.

Foto: dicafresca.com

Foto: dicafresca.com

O bom desenvolvimento dos cachos surpreendeu os pesquisadores. A pesquisa, pioneira no Rio Grande do Norte, abriu uma nova alternativa para a agricultura no interior do estado. O plantio de uva no Sertão do RN sempre foi questionado, mas os agricultores preferem cultivar as frutas tropicais, como banana e melão.

Ainda segundo os pesquisadores, o RN possui condições ambientais semelhantes às da cidade de Petrolina (PE), onde há grandes plantações de videiras. Caso seja estimulado, o plantio de uva pode desenvolver também a produção de vinhos e sucos.

Clique aqui para ver a publicação original

'Nordeste não é só praia', revela leitor que indica roteiro turístico no RN

Notícia publicada no portal G1:

Quando se fala de turismo no Nordeste é natural que as praias venham em primeiro lugar entre as atrações. Mas o leitor Romulo Valdeque Pinheiro Bastos, pernambucano que vive em Vitória (ES), lembra que há muito mais que explorar. Ele escolheu o Sertão do Seridó, no Rio Grande do Norte, dentro das dicas dos internauta dos lugares que merecem ser mais conhecidos.

Pinturas rupestres em parques ecológicos situados na região do Seridó do RN. (Foto: oaquimtur.blogspot.com)

Pinturas rupestres em parques ecológicos situados na região do Seridó do RN. (Foto: oaquimtur.blogspot.com)

Essa rota inclui cânions na cidade de Currais Novos, esportes radicais como escalada e rapel em Acari e sítios arqueológicos em Carnaúba dos Dantas. Tudo muito bonito, mas, como alerta Romulo, ainda é um esquema “fora de mão” se você pretende organizar uma viagem sem carro.

Mesmo para cidades próximas, às vezes há apenas uma saída de ônibus por dia em muitos casos, diz o leitor, de 60 anos, que fez a viagem com a esposa.

Mas o esforço compensa, diz Romulo. E ele também contou com uma pequena agência em Currais Novos que fazia os passeios na região do Sertão do Seridó durante três dias e ajudava na mobilidade.

“Fomos em várias cidades, vimos os açudes, são uns oásis. Fomos à caatinga. Vimos a nascente do Rio Potengi, uma gotinha que se transforma no principal rio a passar por Natal”, afirmou o leitor, que também visitou a capital potiguar.

“Andem muito e sintam como essa parte do Brasil é linda.”

Clique aqui para ver a publicação na íntegra